Resenha: A Sétima Cela - Kerry Drewery

4.5.17


A sétima celaTítulo: A sétima cela (A Cela #1)
Autora: Kerry Drewery
ISBN-13:
 9788582462652
Editora: Astral Cultural
Ano: 2016
Páginas: 316
Na rede: Skoob
Onde comprar: Saraiva
Minha avaliação do livro: ✩✩
 - Ótimo
SinopseMartha Honeydew é a primeira adolescente a ser presa no novo sistema de justiça da Inglaterra. A polícia a encontrou ao lado do corpo de Jackson Paige, uma das celebridades mais queridas do país. Nesse novo sistema de justiça, o condenado tem sete dias – cada dia em uma cela diferente – para ter seu destino determinado pelos votos dos telespectadores. Se a audiência do programa decidir pela inocência do preso, ele será solto. Caso contrário, será morto na cadeira elétrica. Martha se declara culpada, mas há algo por trás da cena do crime que os telespectadores não sabem. Quem é, de verdade, Jackson Paige? Martha Honeydew é realmente a culpada? Será que esse sistema jurídico é justo? Nesta distopia eletrizante, todas essas questões nos fazem refletir sobre o poder do dinheiro que, muitas vezes, prevalece sobre a justiça. E Martha, uma adolescente forte e destemida, mostra sua crença em uma sociedade verdadeiramente justa, na força da amizade e do amor. Mesmo que isso possa custar sua própria vida.

Oi gente, tudo bem? No começo do ano eu fiz 21 anos, e algumas semanas antes do meu aniversário o Ari me perguntou o que eu queria de presente. Até ai, não sabia o que pedir, mas numa volta pra casa passei numa banca de revista e lá estava A Sétima Cela, nos destaques literários da banca (uau, nem sabia que tinha isso)! Olhei a sinopse e falei: QUERO ISSO, PELO AMOR DE DEUS. EU AMO DISTOPIAS! 
E semanas depois, o Ari realmente me deu o livro obrigada amorzinho ♥. E não é que foi uma das minhas melhores leituras deste ano até agora?!

"Ame-me o bastante para me deixar partir." - Martha, pag. 27

O livro conta a história de Martha, a partir do momento que ela é presa pela morte de Jackson, com a arma na mão e confessando imediatamente seu crime. Entramos em um tempo onde há um sistema novo de justiça é instalado: o voto popular. Não precisa de provas, não precisa de testemunhas, nem um juiz: apenas precisa apenas ter dinheiro para ligar, mandar uma mensagem ou acessar um site para votar pela morte ou não de uma pessoa que cometeu um crime. A pessoa permanece presa durante sete dias, cada dia numa cela diferente, com uma tortura diferente, até que, no último dia anunciam o veredito popular. Se a pessoa é declarada inocente, sai da prisão, se declarada culpara, bom.... É uma viagem só de ida até a cadeira elétrica, mostrada ao vivo para o mundo todo, após o horário do jantar! O grande questionamento é: Porque uma adolescente mataria uma celebridade? E porque ela confessaria tão depressa o crime? A mídia nos mostra tudo através do programa Morte é Justiça!

Minha opinião:

A minha primeira impressão do livro foi: "UAU! Essa mulher escreve muito bem!", e a partir daí li tão rápido que quase gritei por uma continuação (que infelizmente não saiu ainda, afinal, o livro lançou no final do ano passado). Eu particularmente amo distopias. A história é narrada de vários pontos de vista diferentes: da Martha, da psicóloga que acompanha ela durante os sete dias que ela fica nas celas, a visão que o programa Morte é Justiça proporciona aos expectadores, e de mais um personagem que não convém contar, afinal, seria spoiler. haha
A narrativa é bem rápida e por muitas vezes o leitor fica com vontade de gritar que está tudo errado, que aquilo não deveria estar acontecendo, e pior: porque as pessoas pagam para ver isso?!

"Nunca assisti ao programa na TV. Achava desrespeitoso. Como se eu estivesse espionando a vida dos outros." - Martha, pag. 239

Acho que, como toda boa distopia, a crítica social é o que mais vale. O que mais me pegou foi o fato de parecer mesmo um reality show, tipo Big Brother, e as pessoas realmente pagam para ver outra pessoa morrer, surreal!
Não irei contar muito, porque, apesar de conter mais de trezentas páginas, tudo acontece num decorrer eletrizante de setes dias. 
Recomendo muito este livro para quem ama distopias, romances e suspense!
Até mais. ♥


Resultado de imagem para kerry drewery biografia
Sobre a autora: Kerry Drewery é autora de mais dois livros aclamados pela crítica: A Brighter Fear (2012) e A Dream of Lights (2013). Antes de se dedicar totalmente ao ofício de escritora, ela era coordenadora do programa BookStart, da fundação BookTrust. Foi finalista da competição de melhor roteiro para programas infantis da BBC e se formou com honras no curo de Redação Profissional. Kerry mora em LincoInshire, na Inglaterra, entre o campo e o mar, em uma casa cheia de livros, filmes e cachorros.

You Might Also Like

4 Comentários

Comentário(s)
4 Comentário(s)
  1. Primeira resenha que leio deste livro. Adorei.
    Assim como você, eu adoro distopias. Nem sabia que esse era uma, agora eu quero muito!

    Bjks

    ResponderExcluir
  2. Nossa eu realmente curti a ideia desse livro e estou ansiosa para saber como essa história termina. Também gosto de livros nessa temática, e esse me parece ser meio que como Jogos Vorazes, estou certa? Onde as pessoas assistem outras morrendo por prazer e etc...
    Gostei de conhecer esse livro e a autora, que só de ver a temática do livro já dá pra ver que deve ser f*d@!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, e tipo jogos vorazes mesmo!! Acredite, vale muito apena ler! <3

      Excluir

• Fique a vontade pra comentar, respondemos e retribuimos assim que pudermos
• Os comentários são moderados para que possamos dar maior atenção a cada um deles

Like us on Facebook